8. Ações de Sustentabilidade Ambiental Imprimir

 

2. OBJETIVO

 

A Classe Contábil já desenvolve ações de responsabilidade socioambiental por intermédio do programa de Responsabilidade Socioambiental, o qual amplia a participação política, social e ambiental dos contabilistas e dos funcionários do sistema CFC/CRCs por meio da ação de práticas ambientais e sociais como:

  • elaboração do Balanço Social;
  • gestão de resíduos gerados nas atividades internas como a coleta seletiva dos resíduos gerados;
  • consumo consciente de energia, água e materiais de expediente(papel, copos descartáveis etc);
  • campanhas do agasalho e de brinquedos;
  • doação de resíduos recicláveis(papel, copos descartáveis e garrafinha de água mineral), aumentando o ciclo de vida desses produtos.

 

Com base nessas ações, o Projeto Ações de Sustentabilidade Ambiental do PVCC/ CFC estará difundindo ações de sustentabilidade social e ambiental junto às organizações governamentais e não governamentais.

 

2.1. OBJETIVO GERAL

O Projeto Ações de Sustentabilidade Ambiental tem como objetivo promover ações de sustentabilidade socioambiental em organizações governamentais e não governamentais para a sensibilização da mudança de comportamento e a internalização de atitudes ambientais corretas.

 

2.2. OBJETIVO ESPECÍFICO

Para atingir seu objetivo geral, este projeto terá os seguintes objetivos específicos:


• Estimular a reflexão e a mudança de atitude;

• Motivar ações ambientalmente corretas;

• Promover a melhoria na qualidade do ambiente de trabalho;

• Incentivar a melhoria da qualidade de vida;

• Usar racionalmente os recursos disponíveis;

• Destinar adequadamente os materiais recicláveis;

• Possibilitar melhorias na gestão de recursos.

 

3. AÇÕES DE SUSTENTABILIDA AMBIENTAL A SEREM DESENVOLVIDAS

 

A seguir são elencadas ações de sustentabilidade socioambiental que podem ser implantadas pelas organizações governamentais e não governamentais com o apoio e a colaboração da classe contábil:

 

3.1.  Ações de Neutralização de Carbono

          A ação de compensar as emissões de gases de efeito estufa é conhecida por Neutralização de Carbono. O termo “neutralização” não significa que não há impactos por essa atividade. Significa que foi realizada uma ação de compensação ambiental que irá contribuir no combate ao aquecimento global.

            No intuito de estimular e motivar reflexões e ações de mudança de atitude quanto às questões socioambientais, o Projeto disponibiliza na sua página na internet a calculadora que mensura as emissões de carbono emitidas por cada um durante as atividades de rotina diárias, cujo objetivo é neutralizar tais emissões. A calculadora informa também a quantidade de árvores plantadas serão necessárias para neutralizar essas emissões. Trata-se de uma parceria com a ONG Iniciativa Verde, a qual disponibilizou para o Programa do Voluntariado a utilização da calculadora. Esta ação de sustentabilidade socioambiental está diretamente relacionada com o eixo da plataforma do Programa Cidades Sustentáveis “Consumo Responsável e Opções de Estilo de Vida”, o qual tem como objetivo adotar e proporcionar o uso responsável e eficiente dos recursos e incentivar um padrão de produção e consumo sustentáveis”. 

  

3.2. Elaboração do Balanço Social

O balanço social, ou relatório de sustentabilidade, é um meio de dar transparência às atividades corporativas, de modo a ampliar o diálogo da organização com a sociedade. É também uma ferramenta de gestão da responsabilidade social, pela qual a empresa entende de que forma sua gestão atende à sua visão e a seus compromissos estabelecidos em direção à sustentabilidade.

          A publicação de um balanço social oferece uma proposta de diálogo com os diferentes públicos envolvidos no negócio da empresa que o adota: público interno, fornecedores, consumidores/clientes, comunidade, meio ambiente, governo e sociedade.

A proposta é de que o relatório contenha informações sobre o perfil do empreendimento, histórico da empresa, seus princípios e valores, governança corporativa, diálogo com partes interessadas e indicadores de desempenho econômico, social e ambiental.

É importante enfatizar que para esta elaboração do BS a colaboração dos profissionais da contabilidade será de muita valia, pois será adotado como modelo a metodologia de elaboração do Balanço Social do Sistema CFC/CRCs já implantado na grande maioria dos Conselhos de Contabilidade.

 

3.3. Gestão de Resíduos Sólidos: Coleta Seletiva de Lixo.

O meio ambiente é duramente castigado pela disposição inadequada dos materiais, geralmente em lixões a céu aberto, o que gera poluição de água, solo e ar, proliferação de vetores de doenças e diversos tipos de contaminações.

Boa parte desse transtorno ambiental poderia ser evitada com a participação de cada um de nós, já que todos geram resíduos e todos deveriam ser co-responsáveis pela gestão dos mesmos. É nesse contexto que se destaca a coleta seletiva, que é o ato de separar e coletar materiais já usados, mas que são recicláveis, para que não sejam descartados como lixo. Esse processo pressupõe a Redução, a Reutilização e a transformação de novos produtos pela Reciclagem artesanal ou industrial.

De acordo com os aspectos ambientais considerados, o programa é monitorado pelos seguintes indicadores:

 

VOLUME DE RESÍDUOS - percentual de material encaminhado para a reciclagem em relação ao total de resíduos gerados: é o indicador que monitora a coleta seletiva do prédio. A partir do descarte dos materiais nos coletores específicos, torna-se possível verificar a qualidade da separação dos resíduos gerados e o volume de materiais potencialmente recicláveis que deixa de ir para o aterro sanitário. A percentagem de materiais recicláveis com destinação adequada é calculada a partir do volume total de resíduos sólidos gerados diariamente.

 

CONSUMO DE ÁGUA - consumo mensal de água per capita em litros: o cálculo do indicador para água é feito com base na leitura mensal do consumo na conta da prestadora desse serviço, dividido pelo número de funcionários das instituições. Para o indicador de água, considera-se 1m3 igual a 1000 litros.

 

CONSUMO DE ENERGIA - consumo mensal de energia elétrica per capita em KWH: o cálculo do indicador para energia elétrica é feito com base na leitura mensal do consumo na conta da prestadora desse serviço, dividido pelo número de funcionários das instituições. 

 

CONSUMO DE COPOS DESCARTÁVEIS - consumo mensal de copos descartáveis per capita em unidade: o consumo de copos descartáveis é verificado mensalmente a partir da saída desse material do almoxarifado, dividido pelo número de funcionários das instituições.

 

CONSUMO DE PAPEL DO TIPO A4 - consumo de papel  do tipo A4 per capita em unidade: o consumo de papel do tipo A4 é verificado mensalmente a partir da saída desse material do almoxarifado, dividido pelo número de funcionários das instituições.

 

REUTILIZAÇÃO DE PAPEL DO TIPO A4 - quantidade de blocos de rascunho confeccionados com a reutilização de papel A4: para o cálculo da reutilização de papel do tipo A4 considera-se o número de blocos para rascunhos confeccionados em relação ao consumo total de papel A4.

         

Esta ação de sustentabilidade socioambiental está diretamente relacionada com o eixo da plataforma do Programa Cidades Sustentáveis “Bens Naturais Comuns”, que tem como objetivo assumir plenamente as responsabilidades para proteger e assegurar o acesso equilibrado aos bens naturais comuns.

 

3.4. Campanha de Agasalhos, Brinquedos e Alimentos

A busca por agasalhos, principalmente no inverno tem sido bastante grande, especialmente por moradores das áreas mais pobres dos municípios. As pessoas carentes têm muitas dificuldades para conseguir roupas e alimentação para suas famílias, e com campanhas de agasalhos e alimentos pode-se, ao sensibilizar a sociedade, atender os mais necessitados em suas comunidades de maneira gratuita e carinhosa.

Também, nessa mesma linha de raciocínio pode-se pensar em ações que promovam a reutilização de brinquedos para crianças carentes, visando proporcionar-lhes uma infância mais feliz e digna.

Dessa forma, promover por ocasião de datas ou períodos determinados pelas entidades governamentais e não governamentais a arrecadação desses materiais e destiná-los às comunidades carentes e necessitadas.

O Sistema CFC/CRCs já pratica esta ação há bastante tempo junto a asilos, creches e escolas de comunidades carentes, este know-how pode ser socializado com as entidades governamentais e não governamentais.

Esta ação está em sintonia com o eixo do Programa Cidades Sustentáveis “Equidade, Justiça Social e Cultura da Paz, que busca promover comunidades inclusivas e solidárias”.

 

3.5. Doação de Materiais Recicláveis: Papel, Copo Descartáveis e Garrafinha de Água Mineral

Com atitudes de cidadania e ação socioambiental, todos, cidadãos e empresas que tem consciência social e ambiental, podem e devem doar material reciclável.

          Os resíduos obtidos por ocasião da coleta seletiva podem ser reutilizados proporcionando uma nova fonte de renda para as entidades do terceiro setor como cooperativas de reciclagem e associações de catadores.

          Neste sentido, torna-se necessário a formalização de termo de parceira com as cooperativas e associações para que possam periodicamente coletar os materiais que serão doados para a reutilização. 

          Esta ação está em sintonia com o eixo do Programa Cidades Sustentáveis “Economia Local Dinâmica, Criativa e Sustentável”.

 

3.6. Orientação Socioambiental ao Empreendedorismo Social e Ambiental

          Esta ação tem como finalidade disseminar ações de sustentabilidade socioambiental para pequenos produtores locais que utilizam os recursos naturais em seus processos produtivos degradando ou poluindo o meio ambiente.

          Consiste em orientar estes pequenos produtores nas questões ambientais tais como: minimização de resíduos e emissões (focada na redução na fonte do material ou adoção de material reciclável) e reuso de resíduos, efluentes e emissões. A primeira está relacionada a mudanças no produto ou no processo (esse que envolve desde a troca de matérias-primas e mudanças tecnológicas, até as boas práticas operacionais). Já a reciclagem está ligada ao uso, reuso e a recuperação do material.

          Esta ação está associada ao eixo do Programa Cidades Sustentáveis “Economia Local Dinâmica, Criativa e Sustentável”,  que possui como objetivo apoiar e criar as condições para uma economia local dinâmica e criativa, que garanta o acesso ao emprego sem prejudicar o ambiente.

           

4.  INDICADORES DO PROJETO

4.1. Quantas organizações receberam orientação de uma das ações do projeto;

4.2. Quantas organizações implantaram uma das ações do projeto;

4.3. Qual a ação de sustentabilidade ambiental do projeto mais adotada pelos interessados.

 

5.  RECURSOS NECESSÁRIOS

 

5.1. Material institucional do Projeto e do PVCC;

5.2. Equipamentos de projeção para as palestras;

5.3. Local para realizar as reuniões/palestras ou oficinas.

 

6. PARCEIROS

 

6.1. PARA RECEBER APOIO: Organizações governamentais e não governamentais

6.2. PARA DAR APOIO: Iniciativa Verde, Programa Cidades Sustentáveis, SEBRAE.

_______________________________________________________________________________________________

Calcule sua emissão anual de Gases de Efeito Estufa (CO2 equivalente), e a quantidade de árvores que deverá plantar a fim de compensar estas emissões.

Link: http://www.iniciativaverde.org.br/pt/calculadora

 
PVCC - Programa Voluntariado da Classe Contábil.